Suplementação para atender as necessidades de proteína

Conforme uma criança cresce até chegar a adolescência e vida adulta ocorre ganho de massa muscular. No entanto, após a estagnação do crescimento, geralmente, não há um aumento de massa muscular. Além disso, depois dos 40 anos ocorre o declínio natural de aproximadamente 0,8% de massa muscular ao ano, esse processo é chamado de sarcopenia [1]. A massa muscular é um produto do contínuo estímulo de síntese de massa muscular e de quebra de massa muscular, esse balanço pode ser positivo, e gerar ganho de massa, negativo, acarretando na perda de massa ou permanecer constante. O balanço pode se tornar negativo quando não há consumo de energia e proteína suficiente, treinos físicos de resistência (sem uma dieta adequada) ou com a idade [2]. Entretanto, está bem estabelecido de que a perda da massa muscular com uma dieta inadequada ou com a idade pode ser atenuada através do consumo de dietas hiperprotéicas [3].

Os alimentos ricos em proteínas podem ser os de fonte animal, como carnes, peixes, produtos lácteos e ovos, ou de origem vegetal, estes são o tofu, quinoa e grãos [2]. Destaca-se a alta qualidade de proteínas derivadas de lácteos, pois foram encontrados resultados positivos, quando comparada com outras proteínas, o seu consumo em relação ao balanço positivo de massa muscular [4]. Existem diversos tipos de proteínas e sua qualidade depende dos tipos de aminoácidos que a formam, da sua digestibilidade e biodisponibilidade, ou seja, a partir da sua composição, como a proteína vai ser digerida e o que vai ser absorvido [5].

Para complementar a dieta suplementos são bastante utilizados, e para que não haja perda ou que haja o ganho de massa muscular através do consumo de mais proteínas, o diferencial é a qualidade da proteína que está sendo consumida [2]. O suplemento mais utilizado é o whey protein, que é um subproduto da produção de queijos ou é isolada diretamente do leite [2]. O whey protein estimula a produção de massa muscular melhor do que outras proteínas isoladas, isso porque é rapidamente digerida, aumentando os níveis de aminoácidos essenciais na corrente sanguínea [6]. Outro suplemento que vem sendo bastante estudado é a leucina, um aminoácido de cadeia ramificada (BCAA), essencial para a estimulação de produção de massa muscular [7].

Referências
1 - Paddon-Jones, Douglas, and Blake B. Rasmussen. "Dietary protein recommendations and the prevention of sarcopenia: Protein, amino acid metabolism and therapy." Current opinion in clinical nutrition and metabolic care 12.1 (2009): 86.
2 - Devries, Michaela C., and Stuart M. Phillips. "Supplemental protein in support of muscle mass and health: advantage whey." Journal of food science 80.S1 (2015): A8-A15.
3 - Geirsdottir, Olof G., et al. "Dietary protein intake is associated with lean body mass in community-dwelling older adults." Nutrition Research 33.8 (2013): 608-612.
4 - Josse, Andrea R., et al. "Increased consumption of dairy foods and protein during diet-and exercise-induced weight loss promotes fat mass loss and lean mass gain in overweight and obese premenopausal women." The Journal of nutrition 141.9 (2011): 1626-1634.
5 - FAO/WHO Expert Consultation. 1991. Protein quality evaluation report of the Joint FAO/WHO Expert Consultation held in Bethseda, Md., USA, in 1989. FAO Food and Nutrition Paper 51, Rome.
6 - West, Daniel WD, et al. "Rapid aminoacidemia enhances myofibrillar protein synthesis and anabolic intramuscular signaling responses after resistance exercise." The American journal of clinical nutrition 94.3 (2011): 795-803.
7 - Anthony, Joshua C., et al. "Signaling pathways involved in translational control of protein synthesis in skeletal muscle by leucine." The Journal of nutrition 131.3 (2001): 856S-860S.